Ryder the Eagle

Jardim Luís de Camões

Ryder The Eagle nasceu sob o signo de Caranguejo no sul da França e como os planetas previam, dedicou o início da sua vida a encontrar o amor verdadeiro. Dois EPs, um casamento e um divórcio depois, embarcou numa «Follymoon», uma espécie de lua de mel incandescente onde a solidão encontra a loucura da liberdade.

Viajou pelos EUA no autocarro Greyhound, carregando o meu microfone pelas calçadas e cruzamentos, lanchonetes e semáforos. Passou dois anos em Londres a criar as suas músicas de separação e cantou-as em todo o mundo com Adam Green, Jonathan Bree entre outros.

Acabou na Cidade do México, onde mora atualmente. Conduz um velho Chevy Caprice para o qual não tem seguro. O seu baú está cheio de memórias de um passado que não deixa de lado. Um dia foi a uma cidade escocesa chamada Plean, descarregou tudo e escreveu nove músicas sobre isso.