Catarina Branco

Orfeão Velho

O título do disco de estreia de Catarina Branco - “Vida Plena” - traduz a ideia basilar da procura de equilíbrio e o constante questionamento sobre o próprio bem-estar, movido e catalisado por uma inquietação existencial. A tradução do confronto entre os limites da nossa existência exterior e a incessante busca do equilíbrio interior percorre todo o disco, tanto no plano temático como musical.

Se no primeiro EP - ‘Tá Sol (2019, Maternidade) -, gravado na solidão do seu quarto, tinha o foco centrado somente no interior, com canções de rescaldo de emoções fortes, sempre de forma descomprometida, Vida Plena vem relacionar a exterioridade com essa mesma interioridade, mantendo um olhar sobre sequelas emocionais com melodias ingénuas e cortantes, simples e eficazes na sua pretensão de síntese emocional e conceptual.

Assim, desta feita, “Vida Plena” foi produzido e gravado de forma diametralmente oposta: em estúdio(s) e com apoio de produção, gravação e de executantes, num processo de construção das canções de Catarina Branco e que as originaram em primeiro lugar: melodias de voz. A partir das mesmas linhas melódicas, foram pensados os restantes arranjos que as sustentam e permitem contar a história por detrás de cada melodia.